quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Macau: uma história de sucesso

Edição especial da celebração dos 20 anos da  Especial Administração da Região.https://macaomagazine.net/
.
É impossível encontrar um território que tenha sofrido transformações tão profundas e impactantes como as ocorridas em Macau em apenas duas décadas.
.
Por Gonçalo César de Sá
Editor chefe
Revista de Macao

.
No dia 20 de Dezembro, assinalamos o 20º aniversário da transferência da administração portuguesa para a China. E, enquanto comemoramos esse enorme marco, será importante para todos nós, da RAE, lembrar que Macau agora é um território completamente diferente do que era em Dezembro de 1999.
.
Embora muitos costumes e características seculares de toda a cidade tenham sido bem mantidos para além de uma comunidade enraizada nas tradições locais como resultado da fusão de raças, credos e idiomas, Macau transformou-se completamente como resultado do estabelecimento do região administrativa especial. De fato, é impossível encontrar um território que tenha sofrido transformações tão profundas e impactantes em apenas duas décadas.
.
Para Macau tornar-se o que é hoje, em consequência do apoio do governo central chinês e da população de Macau. O governo chinês criou condições para um crescimento económico imparável e sem paralelos na cidade - um tipo de crescimento que nunca foi visto em nenhuma outra parte do mundo.
. 
Com a decisão de abrir a indústria de jogos para operadores internacionais, obter o estatuto de Património Mundial da UNESCO, assistir a um aumento exponencial de turistas da China continental, aumentar a sua jurisdição em mais zonas marítimas concedidas por Pequim e fortalecer os laços de cooperação com as estruturas da China. Na região do Delta do Rio das Pérolas, Macau criou excelentes oportunidadesde crescimento. E, com essas oportunidades, a RAEM está em óptima posição para dar outro salto em seu desenvolvimento nas próximas décadas.

A abertura da ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau no ano passado foi outra parte extremamente importante do desenvolvimento regional, principalmente na área da Grande Baía, começando agora a sentir-  se em Macau as suas consequências. Além disso, graças a uma decisão sem precedentes do governo central, a China concedeu à cidade um estatuto internacional ao sedear no território o Fórum Macau que se tornou uma plataforma para as crescentes relações e relacionamentos entre a China e os países de língua portuguesa.
.
Uma das consequências mais importantes do crescimento económico da RAEM foi o aumento do poder de compra dos residentes, o que lhes permitiu, em apenas duas décadas, melhorar significativamente sua qualidade de vida. E, apesar do reconhecimento de que o rápido crescimento económico de Macau não conseguiu acompanhar a melhoria das infraestruturas sociais, muitos dos projectos lançados nos últimos 20 anos - nomeadamente a habitação pública, a saúde e os transportes - estão finalmente a caminho de serem realizados.
.
Para perceber como é hoje Macau, como cresceu e se transformou, não há nada melhor do que examinar as estatísticas nas últimas duas décadas. Também terá lido as nossas edições especiais incluindo a história da Grande Baía, que será a iniciativa da China que transformará Macau no futuro e abrirá novos desafios ao governo e à população de Macau.
.Também abordamos nesta edição as 15 medidas recentes anunciadas pelo governo central em Pequim, mostrando como Macau pode progredir no futuro com a cooperação das outras 10 cidades da Grande Baía Guangong-Hong Kong-Macao. Em breve, Macau poderá ser um grande centro de inovação, diversidade e turismo acompanhando as grandes lingas de acção da Grande Baía.
.
Nesta edição da revista, pudemos conversar com moradores, políticos, funcionários do governo, artistas, economistas e muito mais. Ouvimos o que eles pensam sobre os últimos 20 anos e o que esperam nas próximas duas décadas e para além desse período.
.
Houve uma resposta comum de todos os nossos entrevistados:
Macau enfrentará um grande futuro. Um futuro com maior desenvolvimento e melhor organização. Acima de tudo, a cidade tornar-se-á um lugar central onde surgirá um novo espírito de arte e cultura, especialmente com o impulso actual dado através de festivais de artes e turismo, festas, shows e eventos que ocorrem ao longo de todo o ano.

Em resumo, a partir de agora Macau Link pela frente uma nova vida, em termos da política, dos negócios, da cultura, da indústria do turismo dos assuntos sociais.

.Quanto ao restante desta edição, aproveite e leia a nossa entrevista com Tai Kin Ip, diretor do Departamento Económico de Macau, que discute iniciativas e inovações financeiras na cidade, e também leia o nosso artigo sobre a comunidade Indonésia de Macau, que mostra como a cidade é e sempre foi tolerante a novas ideias, raças e credos. Além disso, apresentamos nesta revista o esforço contínuo do Instituto Internacional de Macau (IIM) - uma organização dedicada a preservar a identidade da cidade e fazer o máximo para manter sua memória viva.
.
As celebrações dos 20 anos coincidem com o 10º aniversário da 'Revista Macao'. Esperamos que se junte a nós para marcar a grande ocasião em 20 de dezembro, enquanto também assinalamos nessa altura o nosso aniversário e as 55 edições da revista Macao..
 .
Autor:“Gonçalo César de Sá, há 35 anos na Ásia, foi director da Lusa na Ásia e Brasil. Nasceu em Moçambique trabalhou na BBC e France Press, viveu no Japão, Indonesia, fez filmes sobre os portugueses na Ásia, publicou livros e hoje é director do grupo de media Macaulink que faz a revista Macao, o serviço de notícias Macauhub, e os sites CLBrief e Macaunews.”
.
O artigo traduzido que pode ser lido,folheando, a revista Aqui