terça-feira, 1 de outubro de 2019

"A MINHA PROSA E BELA RECORDAÇÃO - ESCRITO HÁ 12 ANOS"

sábado, dezembro 01, 2007

OS 80 ANOS DE UM REI JUSTO - MINHA HOMENAGEM

Sua Majestade o Rei da Tailândia Bhumibol Adulyadej. De quando do seu aniversário dos 68 anos
5 de Dezembro é uma data memorável e de alegria para o povo tailandês.
É o dia do aniversário de Sua Majestade o Rei da Tailândia completando 80 anos de vida. Associo-me ao regozigo das gentes siamesas porque também me considero súbdito de Sua Majestade e o orgulho de ter vivido, durante mais de duas dezenas de anos, sob a sua protecção. Desde a minha (que considero longa) permanência no Reino da Tailândia, conheci o Monarca ainda jovem a visitar os seus súbditos por todo o território tailandês. A todos dava os seus reais conselhos.
Sua Majestades os Reis da Tailândia, assistindo ao defile militar em sua honra em frente da Câmara Municipal de Lisboa

Desenvolveu, graças à sua inteligência, a agricultura, incitando os camponeses a diversas culturas agrícolas; o sistema de irrigação ordenando a construção de novas barragens.
Eliminou a cultura da demoníaca flor da papoila, a matéria prima para a produção ópio e a heroína nas terras do norte da Tailândia, pelo cultivo de vegetais, flores e árvores de fruto. Acção que viria a melhorar a vida das gentes das terras altas do território.
A educação primária, secundária e universitária foi uma das muitas preocupações de Sua Majestade. Construiram-se escolas e universidades em todo território tailandês. O ensino superior foi descentralizado da capital a cidade de Banguecoque e foi ao encontro do Povo. A saúde e o bem estar das suas gentes foi, igualmente, como a educação, faze-la chegar a todos.
Recepção a suas Majestade na Câmara Municipal de Lisboa
Actualmente existem muitas universidades no norte,sul e centro do país. Universidades, absolutamente, bem apetrechadas onde os jovens, terminam os seus cursos técnicamente formados, para o futuro e servirem a monarquia.
Um Homem um Grande Rei ao lado do seu Povo. Sua Majestade o Rei Bhumibol Adulyadej, durante o percurso de sua vida foi músico compositor,de renome internacional, desportista tendo-se dedicado às competições náuticas de vela; eximío artista plástico com especial atracção de passar para a tela a sua real esposa a Rainha Sirikit.
Sua Majestade o Rei Bhumibol assina o Livro de Honra, da Câmara Municipal de Lisboa

Os portugueses, tiveram a honra e o prazer de receber Suas Majestades os Monarcas da Tailândia, a Raínha Sirikit (considerada então a mulher mais bonita do mundo e seus sorrisos cativaram multidões) e Bhumibol Adulyadej.
Depois de seu avô o Rei Chulalongkorn que visitou Portugal no ano de 1897 A 22 de Agosto de 1960 Suas Majestades os Reis da Tailândia descem, numa manhã a escada do avião que minutos antes tinha aterrado no Aeroporto da Portela. Recebem a brisa fresca do ar de Lisboa e esperados com todas as honras e hospitalidade, característica portuguesa, para lhes dar as boa-vindas, os altos dignatários do Governo Português de então. Viagem e hospitalidade que Sua Majestade o Rei Bhumibol, jamais viria a esquecer.
Banquete em honra de Suas Majestades na Estufa Fria
Sempre a recordou aos Embaixadores de quando os acreditou como representantes de Portugal junto à Corte da Tailândia. Além da memorável viagem Sua Majestade, a terras lusas, refere-se à presença dos portugueses na velha capital Ayuthaya (Aiutaá) e os primeiros europeus a conhecerem a Tailândia. Não ignora os feitos dos navegadores portugueses que uniram o Oriente ao Ocidente depois da descoberta do Caminho Marítimo para a Índia pelo Gama.
Suas Majestades descem as escadas da Estufa Fria

Os portugueses gente de paz e de fácil assimilação a outras étnias, constituiram uma comunidade luso-tailandesa, serviram Reis, com toda a lealdade e brilhantismo, como soldados e artesões desde o princípio do século XVI. Nos dias actuais são pouco mais de uma dúzia onde, entre o número, estou incluído.
Sua Majestade a Raínha Sirikit admira uma jovem com um trajo rico à vianesa
.
Como acima, referi, volto a repetir que neste Reino tenho vivido na "paz dos anjos" sob a bênção de Sua Majestade o Rei Bhumibol e nela desejo que os meus "ossos" fiquem para sempre, depois de uma vida de 72 anos, com três fugidas a estado de guerras: Angola; Moçambique e Rodésia (Zimbabwe) e foi na Tailândia que encontrei a verdadeira democracia e a liberdade de viver o meu quotidiano.
.
Por tanto que tenho recebido de Sua Majestade o Rei Bhumibol, resta-me desejar ao Meu Rei, longa vida, harmonia entre os seus súbditos, a continuação de prosperidade e desenvolvimento da Tailândia.
José Martins