segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

TAILÂNDIA: MINHA PASSAGEM DO ANO 2018 PARA O 2019.

Como em anos anteriores e tradicionalmente, a minha passagem, mais minha mulher, do ano Ano Velho para para o Ano Novo, é junto ao grande Rio Chao Prya (Rio dos Reis). A razão: "no lugar onde me despeço do Ano Velho, é uma parte de minha vida (41 anos) e saudosamente ali estou. O Rio Chao Prya é  o rio, que obrigatória eu visitava todos os dias para apreciar o seu bulício nas manhãs transportando, nos barcos tailandeses que atravessavam o rio, ou batelões para seus empregos vindos da margem direita. Conheci o Rio Chao Prya com as margens vazias de casas e hoje constroem-se arranha céus para ser ocupados, por gente rica ou turistas confortalvelmente bem na vida. Seguem imagens legendadas que dão conta da minha passagem de anos mais a mulher que me atura há 38 anos.

 A montante do Rio Chao Prya pelas 6 horas da tarde.
Autoridades que vigiam o rio.
 Barcos que se vão acomodando nas margens para a grande festa.
O último sol-posto de 2018.
 A capital da Tailândia, não pára de crescer!
Antes da festa começar damos uma volta pelo China Town. Um carro, um traste que por ali está sepultado há uns 40 anos. China Towm, está instalado num largo terreno doado pelo Rei da Tailândia nos anos 1767. Neste espaço ninguém mexe..... Passa de geração em geração e palavra, como o ditado, de Rei não volta atrás!
Montes de sucata.... em plena via particular. No entanto o China Town de Banguecoque continua a ser,economicamente um pulmão, importante, da capital tailandesa.
Casa abandonado, que vale, milhões....certamente o proprietário partiu deste mundo e não deixou descendentes.... Antes da festa começar damos uma volta pelo China Town. Um carro, um traste que por ali está sepultado há uns 40 anos. China Towm, está instalado num largo terreno doado pelo Rai da Tailândia nos anos 1767. Neste espaço ninguém mexe..... Passa de geração em geração e palavra, como o ditado, de Rei não volta atrás!
A sede do primeiro banco tailandês.... Encontra-se no mesmo local há mais de um século. Uma relíquia histórica.
Ganhando a vida vendendo salsichas durante a noite...
Igreja construída em parcela que foi doada a Portugal,1782, para construir doca para reparar e construir barcos. A Igreja do Vaticano apoderou-se dele e construi uma catedral no estilo Gótico.
A entrada...
O interior. Pároco celebra uma missa...
Uma história mal contada......
Turistas....
Graciosamente recebidos por jovens tailandesas...
Centenas de turistas para embarcar em barcos e passar a passagem do ano navegando no rio.
Mistura-se gente de todas as etnias....
Uma belíssima peça da arquitectura colonial portuguesa. Construiram-se dezenas na velha cidade de Banguecoque. Hoje poucas restam... Deram lugar a outras mais modernas e rentáveis. São conhecidas por sino-portuguesas.
Torres impressionantes, gémeas, a desafiar as alturas. Acabadas de ser construídas na margem direita do Rio Chao Prya.
Barco, turístico, que aguarda clientes para a passagem do ano.
A maquilhagem.... 
Velhos amigos.... que nos encontramos uma vez por ano. Ele no mesmo sitio alugar barcos aos turistas... Eu em casa, porque a gente que governa Portugal, dos pobrezinhos, depois de eu atingir os 70 anos e 24 de serviço na Embaixada em Banguecoque, deram-me o fora, quando eu estava na melhor forma de minha vida profissional. Assim, estamos onde estamos, economicamente, nas LONAS!
A obra, no muro da embaixada executado pelo Vhils, Alexandre Farto (inauguração AQUI ). O amarelo da imagem foi provocado pelas luzes de automóvel. 
A entrada para a embaixada de Portugal em Bangueque. Alumiada pelo passar dos automóveis. Nesta missão entrei, pela primeira vez em 1977. E dentro dela fui funcionário público 24 anos. Conheci 10 embaixadores e colaborei com 9! Sobrevivi e ainda estou vivo!!!
Na Captain Bush Lane, turistas jantam....
 O Castro, português, casado com uma senhora tailandesa, a servir os turistas no restaurante. 
Restaurante de rua... Na Tailândia há comida e boa, para todas as bolsas e preço...
Fazendo pela vida...assando carne de galinha....
Antes de chegar a meia-noite eu e minha mulher caminhamos por vielas, estreitinhas, do china town...Uma pequena casa de oração.
Viela do china town, onde o espaço não basta....Vive ali gente de paz...ninguém se mete com ninguém...
Um velho traste Fiat 500, ali arrumado há muitos anos....
Alguém que gosta de cavalos. O mural na parede de sua casa...
O rio a montante.
Cruzam-se dois barcos abarrotados de turistas....
Há festa rija no terraço, pegado à varanda onde me encontro....
O rio, os barcos, os prédios e as luzes...
O telhado de um templo budista no china town...
A margem esquerda do Chao Prya e seus hoteis...
O vai e vem dos barcos engalanados...
A meia-noite aproxima-se...
Talvez ela (não conheço) mande a sua mensagem de bom ano....
o 2018 deixou-nos e o 2019 chegou.... Segue-se os 14 minutos de fogo de artificio.
E até para daqui a um ano se ainda por aqui andar! Nada é eterno! 

José Martins