Daca, 13 milhões de habitantes, horizonte de cor e luz, calor. Um caos religiosamente respeitado, trânsito de loucos, favelas a perder de vista entrelaçadas com condomínios de luxo, hotéis de seis estrelas e embaixadas de imaculado fausto.
.
À MARGEM: Sou amigo de Mário Lemos, há cerca de 7 anos e o primeiro que deu conta da presença do jovem, promissor, treinador de futebol na Ásia. Acompanhei Mário Lemos, desde a primeira vez em Banguecoque, a treinar as reservas e a dirigir a ”escolinha” do maior clube de futebol da capital tailandesa o Muangthong United F.C. e neste clube, já tinha sido, antes, o adido de imprensa do treinador (com grande sucesso) o Prof. Henrique Calisto. 
 .
Mário Lemos deu comigo pelo facto de eu vestir uma camisola e na cabeça um chapéu com os símbolos da Pátria Portuguesa, a maneira mais simples de os portugueses se identificarem no mundo e nos países que os acolherama. 
 .
Timidamente e com alguma  humildade Mário Lemos perguntou-me: “o senhor é português?”. Ali e a 16 mil quilómetros, da Mãe-Pátria, estavam duas pessoas a falar a mesma língua e onde os portugueses, residentes na Tailândia, se contam pelos dedos.
,
Desde então ficamos amigos e até hoje nunca perdemos o contacto. Mário Lemos partiu para a Coreia do Sul, lá a seta do Cupido feriu-o e uniu-se com uma jovem, bonita, coreana. Mário Lemos na Coreia nunca deixou de entrar em contacto comigo dando-me conta de sua actividade e o primeiro convite que teve como seleccionador nacional de um clube da Ásia que não viria aproveitar.
.
Agora, Mário Lemos, um treinador português na Ásia, com a bonita idade de 32 anos é o seleccionador nacional de Bangladesh, que me transmitiu, antes de o ser, sua  nova função.
.
Próximos dias vou ter o Mário Lemos na Tailândia onde sua selecção, de Bangladesh, virá disputar  um torneio de preparação e adaptação a outros clubes tailandeses. Lá estarei e darei um abraço, amigo, ao Mário Lemos, reportar os jogos da sua selecção. 
.
Mário Lemos, jovem calmo, domina perfeitamente a língua inglesa, usa o sistema de vida: “devagar se vai ao longe!”.
 .
Não nos resta a menor dúvida que Mário Lemos não vai parar sua cavalgada de subir, na Ásia, como treinador de futebol português.
.
Acredito, porque o conheço bem, que seus horizontes, proximamente, serão a China, país, onde o desporto rei cresce ano após ano.
.
Mário Lemos na Tailândia clique AQUI
Para o artigo, acima, do jornal "Mais Futebol" acima clique AQUI
José Martins