domingo, 15 de janeiro de 2017

BANGUECOQUE:"LUMPININI PARQUE, ´MÚSICA E MERENDA À PORTUGUESA


Não estava mesmo, nada, a contar que ontem, domingo, me iria reunir a uns poucos portugueses, residentes em Banguecoque, numa merenda no Lumpinini Parque e o único pulmão verde existente na baixa da capital tailandesa e espaço onde centenas, se não milhares, de pessoas, todos os dias, vão desentorpecer  as pernas. 
.
Ao abrir o meu sítio do Facebook, que raramente lá vou, encontrei uma mensagem da Maria Castro Alves (sempre com genica para realizar coisas novas) a convidar-me para juntar a outros/outras “tugas”, mais amigos destes no Parque Lumpinini, ouvir música, comer e cada um levaria algo de casa. 
 .
A hora seria pelas cinco e meia da tarde. A comparência de portugueses e amigos, em verdade, não se pode considerar significativa, isto pelo facto de os convites serem enviados a conhecimento no mesmo dia, mas o arranque para novas iniciativas organizadas pela Maria. 
.
Assim, de momento, alinhavado, um passeio e merenda, cultural, no Ban Portuquete, em Ayuthaya (ex-capital da Tailândia) e onde os portugueses e seus descendentes viveram por cerca de 250 anos. 
.
As fotos a seguir, legendadas, dão conta da presença dos portugueses e amigos “a dar ao dente” e a deliciarem-se com música e cantos, de ópera, de jovens e promissoras “sopranos”
Pela 5 horas da tarde, já as pessoas estendiam esteiras e tomavam seus lugares para depois da cinco e meia ouvir música e comer uma "mastiga".
Na imagem, os primeiros a chegar: Maria Madureira, Margarida Amaro, Somchai e amiga e a indispensável presença Maria Castro Alves, a organizadora do evento ao ar livre e ao som de boa música. Mais tarde juntaram-se ao grupo Beatriz Canas Mendes, o Carlos Afonso (director da Globo Internacional e fornecedor de coisas boas na Tailândia e países vizinhos que Portugal produz) mais a mulher, a sempre sorridente (um amor de jovem mulher) a secretária do embaixador Francisco Vaz Patto, Lanlalit. Incluem-se outras presenças que próximamente e em novas reuniões procuraremos designar o nomes das presenças.
A face de carnes formosas (pouco depois de chegar, carregando uma caixa com o conteúdo de um excelente merendeiro), da tripeira das costelas todas, Margarida Amaro a responsável pela cozinha da Embaixada de Portugal em Banguecoque.
De serviço a hospitaleira Margarida Amaro que a todos, em redor da mesa, foi abastecendo de comida.... A gente tripeira é assm!!! Biba o Porto carago!
Seguramente que havia comida, para petiscar, umas 20 pessoas..... Todos responderam à chamada com qualquer coisa.... Nenhum chegou com as mãos abanar e trouxe amigo para dar ao dente! A Maria Castro Alves, com ela, pedaços de boroa de Avintes!
Até uma alma, caridosa e franca contribui (não sei quem teria sido) no seu farnel, carregou, um queijo da Serra da Estrela de super qualidade.... Faltou um tinto, clareto, para acompanhar tão delicioso petisco.
A panorâmica do espaço a ouvir música,,,
A Margarida Amaro agora parte em fatias o delicioso queijo, de bom pasto, da Serra da Estrela.
Margarida (a formosa) corta rodelas de chouriço de Trás-os-montes, precisamente de Vinhais. Lamentou-se a presença do transmontano das quatro costelas e mais uma, o Marcos do Vale, que estivesse presente e com algumas peças do seu permanente fumeiro.
Um casal que chega de merendeiro na mão.
Um quadro cheio de beleza... O povo sentado, ao fundo o coreto e orquestra a tocar
Cai a noite.....
A "Royal Bangkok Synphony Orchestra" tem tradições com Embaixada de Portugal em Banguecoque. Há 25 anos foi conduzida pelo jovem pianista José de Souza, em outra ocasião o pianista Adriano Jordão e dirigida pelo maestro Silva Pereira.
Texto e imagens
José Martins