quarta-feira, 28 de outubro de 2015

"TAILÂNDIA: "BURIRAM A CIDADE DO DESPORTO" (3ª parte)"


Distante estaria para mim que um piloto português estivesse integrado numa das duas provas, automobilisticas, a realizar no circuíto internacional de Buriram a ter lugar em 23,24 e 25 de Outubro.

 

Gosto de corridas de automóveis das emoções e da ansiedade que as mesmas provocam a quem as aprecia. 

 

O “bichinho” continua a viver dentro de mim e foi desde quando se realizavam provas no circuíto da Boavista do Porto, na década 50 do século passado. 

 

Assistia a essas corridas na rua do Lidador, aberta para encurtar a perigosa passagem pelo Largo de Pereiró à estrada da Circunvalação onde os pilotos abriam até ao Castelo do Queijo e Avenida da Boavista. 

 

Na cidade da Beira (Moçambique), década 60 do século passado) participei, a fazer monte, em ralies com um Volvo 1600 CC (o marreco), já bem rodado e, como o dinheiro era pouco, entrava nas provas com pneus recauchutados. 

 

Normalmente ficava nos últimos lugares, mas era acarinhado, em chacota, pelos pilotos que conduziam Renault Gordini ou outras “bombas” que abriam, na época, para caraças. 

 

Pilotos, alguns já morreram, outros neste mundo como eu, o amigo e me contacto, ainda pelo Facebook, o Zé Augusto Serras Pires (mais ou menos da minha idade) e piloto, que foi, de “gabarito” na cidade da Beira há 50 anos que já lá vão. 

Encurtando a treta escrita acima, na lista dos pilotos na prova TCR International Series, no circuíto internacional de Buriram, o nome de Álvaro Parente. Para a biografia cliqueAQUIAQUI

 

À minha mente veio-me, instantâneamente o nome de Adérito Parente, avô de Álvaro, que pilotava carros, proprietário da Fábrica de Produtos Eléctricos Estrela na Estrada da Circunvalação a fazer esquina com a Via Norte (entre Ramalde e a Senhora da Hora. 

 

O Senhor Adérito Parente, era sócio da Cooperativa de Ramalde (Largo de Pereiró) da qual eu era motorista, na casa dos meus 20 anos e levava mercearias a sua casa na Carcereira (se a memória não me atraiçoa) junto ao cinema Central Cine. 

 

As imagens a seguir dão conta da presença de Álvaro Parente e o primeiro piloto, português, que eu saiba a competir em prova, automobilistica, internacional, na Tailândia.

Na carroçaria do McLaren 650s GT3 inscrito o nome de Álvaro Parente e seu colega piloto o japonês Hamaguchi
Nas duas boxes da McLaren, os mecânicos trabalham a fim de preparem os "bólides" para a prova que se aproxima.
O McLaren  com o número 55 de Álvaro Parente e Hagamuchi na boxe e em revisão
O cockpit do MaLarem que será ocupado por Álvaro Parente
Álvaro Parente debruçado olha o espaço co cockpit ao pormenor
Álvaro Parente é de uma calma impressionante.... Nada de nervos e nas pista de corrida como o peixe na Água.
Minutos antes Álvaro Parente informou-me que André Couto estaria ali, para no dia seguinte experimentar o seu McLaren na pista de Buriram e pilotá-lo no Grande de Prémio de Macau a ter efeito na segunda quinzena de Novembro, próximo, onde Álvaro Parente participará.  . Conversei alguns minutos com o André Couto, falamos um pouco de Macau e de seus êxitos. Conheci, pessoalmente o André afável. Informou-me que depois de correr com o carro Lexus, no Japão, estava agora com a Nissan e em primeiro lugar. André Couto é um grande piloto e como Álvaro Parente nasceram para a profissão, invejável, de pilotos de automóveis de corrida de alta velocidade.Biografia de André Couto cliqueAQUI
Álvaro Parente acerta pormenores com um mecânic
Sobre a vista de Álvaro Parente, seu colega Hamaguchi, prepara-se para entrar na pista e fazer a primeira manga
Hamaguchi no cockpit e prepara-se para guiar para a linha de partida da pista onde ocupará, na grelha o 2ª lugar
Álvaro Parente dá uma recomendação, antes de partir para a pista, ao seu colega Hamaguchi.
Lá vai o McLaren 55 para a pista sob o olhar calmo de Álvaro Parente
O McLaren na pista. Como pano de fundo uma gigantesca imagem de Sua Majestade o Rei da Tailândia
Muito público na bancada central
Álvaro Parente de braços cruzados continua apresentar calma impressionante.....
Na primeira manga o colega de corrida de Álvaro Parente Hamaguchi vai dando conta do seu volante e se defrontando com o Ferrari, Bentley e Aston Martin, outras potentíssimas máquinas em pista.
Hamaguchi na pista dos boxes e vai entrar o McLaren 55 a Álvaro Parente para fazer a segunda manga.
Esta imagem e outras que se seguem mostram Álvaro Parente em pista de condução certa e calculada. Um grande piloto!!!
A última volta da segunda manga. Pouco depois passa a bandeira axadrezada.
A tabela classificativa onde regista a dupla Álvaro Parente e seu colega de volante o japonês Hamaguchi que lhe confere o quinto lugar.
Álvaro Parente conduz o McLaren 55 para o box e finaliza a corrida. Dia antes subiu ao pódio e ganhou o segundo lugar com o mesmo carro. Perdeu por milésimas de segundo. Porém, pela primeira vez um piloto de automóveis português participou numa prova da alta velocidade no Circuíto Internacional de Buriram. Quero vê-lo, na Tailândia, mais vezes!
No pódio os vencedores da corrida TCR International Series
Deixei a pista e passei junto à beldade (que jeito me fazia sua companhia) e fui para o hotel onde me hospedei e esperar para próximas provas que terão efeito próximos dias: 30,31 e 1 de Novembro.
José Martins .
PS - Termino com um abraço ao Álvaro Parente e André Couto pela gentileza que tiveram comigo.